Sindicato da Ind√ļstria de Funilaria e Pintura do Estado de S√£o Paulo
‚ÄúRepresenta√ß√£o pra valer!‚ÄĚ
+55 (11) 94663-8270

Notícias

'Cliente oculto' aponta custo real de m√£o de obra em funilaria

Diferença entre preço de mercado e o pago pelas seguradoras à oficinas indica que remuneração é insuficiente para reparação adequada dos veículos segurados e terceiros; pesquisa foi realizada pela Junior FEA-RP

O n√ļcleo Oficinas do Bem, do Programa Empreender da Associa√ß√£o Comercial e Industrial de Ribeir√£o Preto e do Sebrae, que re√ļne empresas de funilaria e pintura automotiva, encomendou uma pesquisa in√©dita para a Empresa Junior FEA-RP com o objetivo de desvendar o custo m√©dio da m√£o de obra do setor em Ribeir√£o Preto.

Segundo o estudo, o valor médio cobrado na cidade é de R$ 94,44 por hora. Para isso, a consultoria visitou 18 das principais oficinas da cidade utilizando uma pesquisa de cliente oculto, com uma metodologia que avaliou, além do preço, qualidade do serviço e a segurança do cliente em confiar seu carro no estabelecimento.

 "O consumidor tem o direito de saber os custos envolvidos na repara√ß√£o de seu ve√≠culo, uma vez que isso impacta diretamente na qualidade dos servi√ßos e pe√ßas", explica o empres√°rio Ronaldo Alves Pereira, que participa do n√ļcleo Oficinas do Bem.

"A pesquisa vai ajudar a estabelecer a precificação dos serviços de reparo automotivo, já que as seguradoras e locadoras seguem apenas a diretriz da redução de custo, sem avaliar o impacto na qualidade do serviço", aponta o empresário, que complementa "Conhecer esses valores é uma arma do consumidor para exercer seu direito de escolher onde vai realizar a reparação de seu veículo, sem ser pressionado e direcionado pelas seguradoras".

Com o resultado da pesquisa, foi poss√≠vel constatar que as seguradoras pagam metade do valor de mercado, pressionando para baixo a qualidade dos servi√ßos. "N√£o √© dif√≠cil concluir que o consumidor tem muita chance de ter seu carro mal reparado quando envolve uma seguradora de autom√≥vel. E isso significa que, al√©m de alta desvaloriza√ß√£o do bem, as seguradoras geram risco enorme para seguran√ßa das pessoas no tr√Ęnsito", afirma Angelo Coelho, presidente da Associa√ß√£o Brasileira da Ind√ļstria Com√©rcio para Excel√™ncia da Repara√ß√£o Automotiva (ABRAESA). "√Č fundamental que o consumidor busque sempre sua oficina de confian√ßa. √Č um direito que ele tem", finaliza √āngelo Coelho.

Diante do desrespeito à liberdade de escolha do consumidor por meio da imposição de rede credenciada e do uso de peças não genuínas sem o conhecimento do consumidor, para viabilizar economicamente o reparo com os valores pagos pelas seguradoras, o Procon de Ribeirão Preto acompanha de perto a relação entre seguradoras, oficinas e o consumidor.

"A seguradora n√£o presta informa√ß√£o muito clara sobre o direto de escolha e utiliza de poder econ√īmico para impor aos reparadores custos que n√£o s√£o economicamente vi√°veis", explica Feres Najm, coordenador do Procon de Ribeir√£o Preto.  Segundo Najm, ao impor seus custos abaixo do mercado, as seguradoras fazem com que o prestador se submeta a uma rela√ß√£o de credenciamento que faz com que ele realize reparos de baixa qualidade e utilize pe√ßas n√£o genu√≠nas.

"O consumidor tem o direito de escolha ferido pois a seguradora entende como pre√ßo de mercado o pre√ßo de mercado que ela imp√Ķe aos credenciados e n√£o o pre√ßo real do setor de repara√ß√£o automotiva com um todo", completa o coordenador do Procon.

Metodologia
A pesquisa inédita no Brasil foi realizada pela empresa Junior FEA-RP sob supervisão do professor doutor Paulo Miranda, em 18 das principais oficinas do mercado reparador da cidade, excluindo concessionárias de veículos e pequenas empresas. Duplas de consultores visitaram os estabelecimentos orçando a substituição da porta dianteira esquerda sempre de um mesmo carro, modelo HB20X 1.6 123cv Flex, cor prata e ano de 2016. No orçamento, a peça seria fornecida pelo cliente. A metodologia utilizada para contabilizar a quantidade de horas necessárias foi a mesma aplicada pelas seguradoras.

Termo de Ajustamento de Conduta

Um TAC - Termo de Ajustamento de Conduta foi firmado com o grupo de oficinas de funilaria e pintura, Oficinas do Bem, do programa Empreender da ACIRP - Associa√ß√£o Comercial e Industrial de Ribeir√£o Preto, e o PROCON, o qual ficou acordado a obriga√ß√£o das oficinas cumprirem o que na realidade j√° est√° na lei (C√≥digo do Consumidor e Norma ABNT espec√≠fica n¬ļ 15296), que √© a aplica√ß√£o de componentes e pe√ßas de reposi√ß√£o originais na repara√ß√£o de ve√≠culos. Caso a seguradora insista na aplica√ß√£o de componentes em desacordo essa legisla√ß√£o, o consumidor precisa ser informado e firmar uma declara√ß√£o de que concorda com essas pe√ßas n√£o originais. O TAC tamb√©m estabelece o direito de escolha do consumidor quanto √† oficina para a realiza√ß√£o do servi√ßo. Quem descumprir - seja a oficina, seja a seguradora - pode ser autuado e sofrer as penalidades legais.

Fonte: www.entremulherestv.com.br

Retornar

Rua Mossamedes, 115, sala 6 - Tatuapé - São Paulo, SP - CEP 03325-000
Juridico (11) 2611-0298       √Ārea t√©cnica (11) 4801-6050       Delegacia geral (11) 2611-0316       Financeiro (11) 3539-1829       Geral(11) 3791-8096
Financeiro: financeiro@sindifupi.org.br